TBR Janeiro

Olá, pessoal, tudo bem?

Como vocês passaram de festas? Quais são as suas metas para esse novo ano? Conseguiram atingir as que vocês queriam no ano passado? Me contem!

Hoje trago para vocês minha TBR de janeiro. É pequena porque eu prefiro me surpreender do que me decepcionar hahaha Então vamos lá:

vintage

a garota alemã

 

Título: A Garota Alemã

Autor: Armando Lucas Correa

Editora: Jangada

Skoob

Baseado numa história real, A Garota Alemã é um romance magistral. A bordo do famoso transatlântico St. Louis, uma garota de 11 anos e 936 refugiados judeus fogem da Alemanha Nazista. Berlim, 1939. Hannah Rosenthal, de 11 anos, tinha uma vida de contos de fadas. Ela passava as tardes no parque com seu melhor amigo, Leo Martin. Mas, agora, as ruas estão cheias de nazistas. Eles vislumbram uma esperança para sair desse inferno: o St. Louis, um transatlântico que pode propiciar aos judeus uma travessia segura para Cuba. Mas logo as circunstâncias da guerra mudam e o navio que era sua salvação agora parece ser a sua sentença de morte. Nova York, 2014. Anna Rosen, ao fazer 12 anos, recebe um envelope misterioso de Hannah, uma tia-avó que criou o pai falecido. O conteúdo do envelope inspira Anna e a mãe a viajarem a Cuba para conhecer Hannah e descobrir a verdade sobre o trágico passado da família.

Continuar lendo

Anúncios

Resenha #26: O Auto da Compadecida, Ariano Suassuna

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje eu trouxe para vocês um clássico de nossa literatura. Também faz parte do Desafio Obverso Books, de um livro de um autor latino-americano e é claro, tinha que fazer um brasileiro. Vamos conferir?

Auto-da-compadecida.jpg

O Auto da Compadecida consegue o equilíbrio perfeito entre a tradição popular e a elaboração literária ao recriar para o teatro episódios registrados na tradição popular do cordel. É uma peça teatral em forma de Auto em 3 atos, escrita em 1955 pelo autor paraibano Ariano Suassuna. Sendo um drama do Nordeste brasileiro, mescla elementos como a tradição da literatura de cordel, a comédia, traços do barroco católico brasileiro e, ainda, cultura popular e tradições religiosas.
Apresenta na escrita traços de linguagem oral (demonstrando, na fala do personagem, sua classe social) e apresenta também regionalismos relativos ao Nordeste. Esta peça projetou Suassuna em todo o país e foi considerada, em 1962, por Sábato Magaldi “o texto mais popular do moderno teatro brasileiro”.

Continuar lendo

Resenha #17: AS Crônicas de Nárnia – O Sobrinho do Mago, C. S. Lewis

Oi gente, tudo bem? Hoje vim falar sobre outro livro: As Crônicas de Nárnia – O Sobrinho do Mago.

O sobrinho do mago

A aventura começa quando Digory e Polly vão parar no gabinete secreto do excêntrico tio André. Ludibriada por ele, Polly toca o anel mágico e desaparece. Digory, aterrorizado, decide partir imediatamente em busca da amiga no Outro Mundo. Lá ele encontra Polly e, juntos, ouvem Aslam cantar sua canção ao criar o mundo encantado de Nárnia, repleto de sol, árvores, flores, relva e animais.

Continuar lendo

Resenha #10 – O Sol é Para Todos, Harper Lee

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje vim trazer para vocês mais uma resenha de um livro maravilhoso, vamos conferir?

1807897.jpg

Um livro emblemático sobre racismo e injustiça: a história de um advogado que defende um homem negro acusado de estuprar uma mulher branca nos Estados Unidos dos anos 1930 e enfrenta represálias da comunidade racista. O livro é narrado pela sensível Scout, filha do advogado. Uma história atemporal sobre tolerância, perda da inocência e conceito de justiça. ‘O Sol é Para Todos’, com seu texto “forte, melodramático, sutil, cômico” (The New Yorker) se tornou um clássico para todas as idades e gerações.

Continuar lendo

Resenha #05 – Grandes Esperanças, Charles Dickens

Olá pessoal, tudo bem?

Hoje, mais uma vez, trouxe um livro que li para o Desafio Obverso Books. Foi uma indicação de uma pessoa do grupo do Facebook do desafio. Quero primeiramente agradecer por ter me indicado este maravilhoso livro. Que livro!

Mas, para começar, vamos a sinopse:

frases_grandes_esperancas post

A grande característica de ‘Grandes Esperanças’ é ser uma história de redenção moral do protagonista, Pip, um órfão criado rigidamente pela irmã num lar humilde e disfuncional, que, após herdar inesperadamente uma fortuna, rejeita a família e os amigos por se envergonhar da própria origem.
No começo conhecemos o infortúnio de Pip, o narrador que vive aterrorizado pela irmã mais velha que, após a morte dos pais, o criou “com a mão de ferro”, bordão para a maneira rígida e por vezes violenta com que trata o filho de criação e também o marido, o ferreiro Joe Gargery. Sua vida começa a mudar com o inesperado convite para que passe a visitar Miss Havisham, uma mulher rica da aldeia, e seja companhia de sua filha adotiva, Estella. Pip imediatamente tem uma queda pela garota, sentimento que se transformará em amor durante a vida adulta e o conduzirá à imoralidade.
A vida de Pip sofre uma reviravolta ainda maior quando, já se preparando para o ofício de ferreiro, recebe a visita de um advogado, que anuncia que o jovem é herdeiro de uma fortuna. Após abandonar a família para viver em Londres, Pip passa a desprezar a sua vida anterior, tentando tornar-se digno de se casar com Estella, que, no entanto, não se interessa por seus sentimentos.
Dividido em três partes, discutindo a bondade, a culpa e o desejo, o romance originalmente foi escrito como um folhetim e publicado na revista semanal All the Year Round, entre dezembro de 1860 e agosto de 1861, tornando-se um grande sucesso. Dickens toma o cuidado de não buscar a empatia fácil com o leitor, fazendo de Pip um personagem sincero em sua imoralidade e, quando se arrepende, na busca pela redenção.

Continuar lendo