Resenha #90: Alys – Elemento Alpha, Priscila Gonçalves

Olá, pessoal, tudo bem?

Hoje trago para vocês a resenha de um nacional que me conquistou desde o primeiro parágrafo. Alys é uma surpresa tão positiva que é impossível não querer indicar para todos vocês. Vem conferir:

capa alys

 

Título: Alys – Elemento Alpha

Autor: Priscila Gonçalves

Editora: Pendragon

Ano: 2017

Páginas: 354 páginas.

Skoob|Comprar

Alys era só uma garota supervalorizando seus pequenos problemas adolescentes. Até que uma simples incursão abriu mais que o mundo que ela desejava conhecer. Abriu os seus olhos pra verdadeira natureza dos metais Nifrity e as responsabilidades de ser a única pessoa capaz de mantê-los em segurança. Agora, ela precisará desenrolar o emaranhado de segredos em que sua vida foi mantida, aprender a dominar seus poderes e encontrar seu guardião antes que a escuridão chegue. Uma aventura fantástica repleta de mistérios, aprendizado e superação, que levarão uma garota a se transformar em uma guerreira e encontrar o seu lugar no mundo.

Continuar lendo

Anúncios

Parceria – Priscila Gonçalves

Olá pessoa, tudo bem?

Hoje trago para vocês mais uma novidade de parceria aqui no blog! Dessa vez, com a autora Priscila Gonçalves. Vamos conhecer um pouco mais dela e de sua obra?

 

2e2165_0a32fa4c1a62457dae2a2ce8f2d2ce27~mv2

É advogada formada pela FDSM e booktuber do Canal LivroNíacos. A paixão pelos livros começou na adolescência, quando ela descobriu que toda sua imaginação fértil abriria novos mundos.

A primeira coisa que escreveu, foi com dez anos. Um história maluca de cinco crianças naufragas, viajando em ilhas tentando voltar para casa. Até hoje não sabe se deve matar ou agradecer à irmã mais nova por ter jogado as folhar no lixo. Já desejou ir para Nárnia com todas as forças, e dormiu mal com medo de um comensal da morte. 

Embora só tenha voltado a escrever muitos anos depois, sempre criou suas maluquices particulares. O marido que sempre à flagra falando sozinha, que o diga… Ser escritora, no entanto, surgiu graças a uma força tarefa criada por amigos que viram o que ela nunca viu. De lá para cá ela se divide, entre o mundo que deseja, os mundos que apresenta em seu canal, e os seus próprios mundos que escreve. E não se imagina fazendo outra coisa. 

Continuar lendo